Embarque para Miami

Passaporte e passagem na mão!

Sumi né? Tanta, tanta coisa aconteceu nesses últimos meses que acabei deixando o blog de lado, já que não quero só postar por postar. Mas vamos retomar a novela, do lugar que parei: meu embarque para Miami! Lembrando que antes de eu embarcar no navio, teria uma semana de treinamento fotográfico nos Estados Unidos, pra só depois saber para qual navio eu iria!

Depois de tanta enrolação por parte da agência, finalmente recebi meus detalhes do voo. Eu sairia de Guarulhos as 21:30 do dia 9 de setembro de 2011! Minha mala pronta, tudo pronto e o frio na barriga começando a aparecer! Decidi ir até o aeroporto de ônibus mesmo, saí de Mogi depois do almoço e fui para Campinas. Tudo corria bem e uma viagem que era para durar uma hora acabou durando quase o dobro, porque o ônibus QUEBROU no meio do caminho, é mole? Já fui entrando em desespero, imagina se eu perco o voo? Mas no final cheguei a tempo na rodoviária de Campinas e o outro ônibus já estava saindo, mais cinco minutos de atraso e eu ficava pra trás!

Motorista quebrando a cabeça para consertar o ônibus
De lá peguei um ônibus da Caprioli que vai até o aeroporto de Guarulhos, sem parar em nenhum lugar! A viagem foi toda tranquila e nem parecia que eu estava indo embora, porque de um momento para o outro a ansiedade sumiu e eu não sentia mais nada, tava curtindo o momento! Fazer essa viagem sozinha foi uma coisa legal, querendo ou não já foi um preview de como as coisas seriam dali pra frente!

Chegando no aeroporto já corri para o guichê para fazer meu check in, fiz tudo bonitinho, despachei minha mala e fui comer alguma coisa. Nem me dei conta que a bateria do iphone já estava quase no fim, podia ter recarregado enquanto fazia hora na espera. Entrei na fila para passar pela polícia federal e ir para a sala de embarque, essa fila demorou quase duas horas. Fico chocada com a demora para um procedimento simples, que é passar a mala de mão no Raio X e passar no detector de metais. Muita gente acaba deixando coisas para trás, tem uma caixa de acrílico enorme, cheia de canivetes suíços hahaha

Depois de quase duas horas na fila, chamaram meu voo e acabei passando na frente de um monte de gente, dá pra acreditar? Nisso eu já tava com uma pontinha de raiva, porque queria muito passar pelo free shop! Mala de mão ok, documentos ok, dei uma corridinha na lojinha que fica bem em frente, não fiquei lá dentro dois minutos e corri para a saletinha de embarque que estava lotada, com gente sentada até na escada. Fui ao banheiro e vi uma tomada, acabei lembrando do bendito iphone e carreguei uns cinco minutos. Assim que sai, foi chamado meu voo e corri para o guichê. Um ônibus nos levou até o avião da American Airlines. De dentro desse ônibus fiz minhas duas últimas ligações, para minha mãe e meu pai, foi só aí que a ansiedade bateu forte e eu percebi que não tinha mais volta e tudo estava acontecendo. Falei tchau e disse: nos falamos quando eu estiver lá.

Nessa hora passou toda a novela na minha cabeça, desde a primeira vez que coloquei meu pé no Costa Concordia, como passageira, passando por todo o processo seletivo, pelo STCW e todas as outras coisas que envolvem o emprego no navio. Mas acima de tudo, me passou o tamanho da loucura que eu estava fazendo de ir para outro país, ir para um navio, sem falar inglês direito. Ao mesmo tempo que bateu um orgulho por ter conseguido, bateu um medo enorme, pela primeira vez. Fiz cara de choro, desliguei o celular e a partir daquele momento me tornei outra pessoa!

Muita emoção!

Eu já tinha voado em aviões menores, mas grande assim era a primeira vez. Era minha primeira vez viajando para fora do país também. Entramos todos no avião, meu assento era no corredor, por sorte tinha um senhor bem tranquilo sentado do meu lado. Achei muito engraçado, a comissária de bordo passou pelo corredor desejando boa noite para todo mundo, em português, para mim ela disse em inglês! Me senti a própria gringa hahahah E isso continuou durante o voo todo, achei bonitinho e cada vez que ela me perguntava algo em inglês eu respondia super natural!

Achei o avião da American Airlines bem modernoso, as poltronas eram apertadinhas, mas cada um tinha uma mini televisão com muitos filmes e joguinhos! Nessa mesma TV passaram as instruções do voo, ensinando como abandonar o avião em caso de acidente, rapidinho decolamos e dentro de nove horas eu estaria em terras americanas! Serviram o jantar, que era bem simples, nada de bebida alcoólica! Depois disso apagaram as luzes e aproveitei para assistir uns filmes em inglês, sem legenda! Só me lembro de ter visto aquele Something Borrowed (O Noivo da Minha Melhor Amiga), depois tentei dormir, o que foi impossível. Não consigo dormir sentada, então foi uma noite difícil!

Bendita televisãosinha!
Tudo estava acontecendo! Dentro de algumas horas eu chegaria nos Estados Unidos e as coisas começariam a mudar de verdade!
1 comentário

Postagens mais visitadas